32ª Feira do livro de Brasília

Por: sexta-feira, julho 15, 2016 0

Feira do livro 2

 

Junto à Feira do Livro de Brasília, que acontece de 16 a 24 de julho no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, também vai acontecer o I Encontro Nacional dos Blogueiros literários! E para aqueles que se interessam pela blogosfera literária, segue o cronograma do Encontro:

 

1o dia (16 – 07) – Sábado

13h00 – Cadastramento físico dos blogueiros – Auditório Águas Claras

  • Primeiro contato dos blogueiros com a Feira.
  • Fechado ao público.

 

14h00 – Abertura do Encontro de Blogueiros – Auditório Águas Claras

  • As boas-vindas da organização aos blogueiros e público
  • Aberto ao público.
  • O que é um blog literário?
  • Quais as modalidades?

 

14h30 – BookTubers – A experiência do blog e Canal Nuvem Literária – Auditório Águas Claras

  • Apresentação da blogueira Juliana Cirqueira.
  • Aberto ao público.
  • Mediação: Luciano Vellasco, do blog Academia Literária DF

 

15h30 – Intervalo de 30 minutos.

 

16h00 – Bate-Papo e coletiva de imprensa com Lorena Reginato – Auditório Águas Claras

  • Lorena vai falar um pouco sobre sua vida e sobre seu livro “Sonhos de Lorena”

 

17h00 – Sessão de autógrafos do livro “Sonho de Lorena” – Auditório Águas Claras

 

19h00 – Abertura oficial da 32a Feira do Livro de Brasília – Auditório Águas Claras

 

 

2o dia (17-07)– Domingo

 

14h00 – Ação desapego – Auditório Águas Claras

  • Momento de socialização. Você tem marcadores ou livros parados em casa? Que tal uma troca? Traga seus marcadores e livros!
  • Aberto ao público.

 

14h30 – Grande debate de blogueiros literários – Auditório Águas Claras

  • Juliana Cirqueira (ES – Nuvem Literária), Jéssica Rodrigues (DF – Leitora Sempre) e Raphaela Barros (DF – Equalize da Leitura) subirão ao palco para discutir temas como:

- A influência dos blogs no mercado editorial;

- Críticas: fazendo e usando a seu favor;

- Guerra Civil: Escritores x Blogueiros;

- O papel do blogueiro nos eventos literários;

  • Aberto ao público
  • Mediação: Luciano Vellasco (DF – Academia Literária DF)

 

15h50 – Intervalo de 10 minutos

 

16h00 – Saindo da Caixinha: palestra “O mito do herói, personagens e arquétipos” com Melissa Andrade (Nova Acrópole – DF) – Café Literário

  • Inscrições deverão ser feitas online (divulgaremos onde em breve);
  • Vagas Limitadas;

 

17h00 – Parcerias literárias: O relacionamento entre o blogueiro e o autor – Café Literário

  • Presença do autor Maurício Gomyde
  • Aberto ao público
  • Mediação: Luciano Vellasco, do blog Academia Literária DF

 

18h00 – Encerramento

 

feira-do-livro-2

  Junto à Feira do Livro de Brasília, que acontece de 16 a 24 de julho no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, também vai acontecer o I Encontro Nacional dos Blogueiros literários! E para aqueles que se interessam pela blogosfera literária, segue o cronograma do Encontro:   1o dia (16 – 07) – Sábado 13h00 – Cadastramento Continue Reading

Zoomorfismo

Por: sexta-feira, julho 8, 2016 0

sofia 30004

 

A mãe vivia dizendo para ela não olhar as pessoas daquele jeito descarado-sem-piscar, É falta de educação, o que vão pensar de você? Mas Sofia não mudava. Arregalava os olhos toda vez que  se sentia vulnerável e insegura quando entrava num lugar desconhecido, ou quando um lugar desconhecido surgia dentro dela, forçando-a a se conhecer novamente. O pescoço também se enrijecia e parecia um torcicolo proposital de gente metida e inflexível, mas. Era apenas a imobilidade causada pelo medo.

Desculpa. A palavra tão certa e direta para quem não conseguia ser outra coisa, a não ser si mesma, feita de matéria ora pulsante demais, ora amorfa demais. Pedia desculpas pelos olhos curiosos, do tamanho das milhares de dúvidas que existiam dentro dela, Por que viver assim, tão na ponta do galho ou em cima do cimento estreito do muro, e se sentir confortável apenas quando se está dentro de um buraco cavado na terra?

Escutava mínimos ruídos a uma longa distância. Audição apurada para correr quando ainda houvesse tempo de se esconder ou de se preparar para quem sabe o quê.  Por isso, tinha insônia e não conseguia dormir enquanto não raiasse o sol, para se certificar de que não houvesse escuridão ou perigo. Se ela tinha olhos atentos, outros conseguiam rastejar e dar o bote silenciosamente. Como predadores.

Sofia-coruja cresceu tão rápido que sua mãe só percebeu quando viu pela primeira vez olhos pequenos na filha. Encolhidos e sem brilho. Não era mais uma menina insegura nem medrosa porque No mundo, não cabem imaturos, Sofia explicou. E seguiu assim até envelhecer, com olhar miúdo e pouco curioso de gente que não tem defeitos.

 

sofia-coruja0004

  A mãe vivia dizendo para ela não olhar as pessoas daquele jeito descarado-sem-piscar, É falta de educação, o que vão pensar de você? Mas Sofia não mudava. Arregalava os olhos toda vez que  se sentia vulnerável e insegura quando entrava num lugar desconhecido, ou quando um lugar desconhecido surgia dentro dela, forçando-a a se Continue Reading