Violette – o filme sobre Violette Leduc e Simone de Beauvoir

Por: terça-feira, março 24, 2015 3

Violette-2013_film-poster_1_(of_3_made)

Filme

2013

Direção: Martin Provost

Violette Leduc  é uma mulher em busca de amor, na grande Paris do século XX. Abandonada pelo seu primeiro marido, ela vê na escrita uma forma de falar sobre os seus desejos e da vontade recolhida e cruel de ser amada. A miséria não a faz desistir — ao contrário —  nela, Violette parece encontrar a simplicidade de escrever as suas memórias mais profundas, descortinando vários tabus da época: homossexualidade, aborto e as relações conturbadas com a sua mãe. É um desabafo que ela protagoniza num quarto apertado, mas todo seu, e desprovido de qualquer luxo.

Violette escrevendo

É numa tarde de grandes expectativas que Violette entrega a Simone de Beauvoir o seu primeiro manuscrito — “L’Asphyxie” (“A asfixia”). Poucos dias depois, Violette é surpreendida com o incentivo da sua nova mentora, a própria Simone de Beauvoir. Uma história de companheirismo entre estas duas mulheres surge da convivência nem sempre fácil, mas muito rica em todos os sentidos.

violette e simone

Depois de “L’Asphyxie” (1946), Violette Leduc escreve “Ravages” (“Estragos”,1955) e “La Batarde” (“A bastarda”, 1964), e também assume sua paixão não correspondida por Simone de Beauvoir. Enquanto isso “O segundo sexo” (1949) e “Os mandarins” (1954) são escritos por Simone de Beauvoir. As visões feministas de ambas as autoras são temas de vários diálogos no filme, o qual ressalta a luta das mulheres por mais independência e igualdade de direitos.

autografo

Quem assiste ao filme não tem dúvidas sobre a força da união entre as mulheres, e também da literatura: a cada página escrita, Violette se transforma numa mulher mais forte e corajosa. O filme ainda deixa várias reflexões: quais as conquistas já alcançadas pelas mulheres? E quantas ainda estão por vir?

janela

 

 

3 Comentários
  • Ina Melo
    29, março, 2015

    Gosto de escrever e tenho livros publicados.Como fazer parte desse grupo?

  • Julia G
    31, março, 2015

    Oi Patrícia, não conhecia a história e, apesar de ser um filme que geralmente não chamaria a minha atenção, fiquei curiosa para assistir. Não assisto a muitos filmes franceses (tenho a impressão de que esse é), mas os poucos que vi gostei bastante.

    Beijos

Comentar Post

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *